Ideología penal común, "doctrinas panacea" y sus presupuestos:

la influencia del neoliberalismo, la globalización y los medios de comunicación (artículo en portugués)

  • Bruno Pazini Pereira Faculdade de Direito de Vitória – FDV
  • Marcelo Fernando Quiroga Obregón Faculdade de Direito de Vitória – FDV
Palabras clave: neoliberalismo, globalización, medios de comunicación, doctrina penal, sentido común.

Resumen

La finalidad de la investigación es analizar el movimiento actual mundial de adopción de un tipo de sentido común penal, a partir de definiciones ecuánimes de "problemas criminales generales". El estudio se realizó a partir de la delimitación de contornos básicos de globalización, neoliberalismo y poder mediático, como puntos de contacto para la creación de las "pautas genéricas" y de la consiguiente definición de antídotos globales. A partir del método inductivo de análisis, se hizo un intercambio de los supuestos planteados y de algunos ejemplos muestra que demuestran la aplicación de ese tipo de ideología uniforme. Es importante resaltar que se trata también de una crítica, construida sin perder de vista la necesaria personalización e individualización social en que el Derecho debe fundarse permanentemente.

Biografía del autor/a

Bruno Pazini Pereira, Faculdade de Direito de Vitória – FDV

Estudante de graduação do Curso de Direito na Faculdade de Direito de Vitória – FDV.

Marcelo Fernando Quiroga Obregón, Faculdade de Direito de Vitória – FDV

Doutor em Direitos e Garantias Fundamentais na Faculdade de Direito de Vitória - FDV, Mestre em Direito Internacional e Comunitário pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Especialista em Política Internacional pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Graduado em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo, Coordenador Acadêmico do curso de especialização em Direito Marítimo e Portuário da Faculdade de Direito de Vitória - FDV -, Professor de Direito Internacional e Direito Marítimo e Portuário nos cursos de graduação e pós-graduação da Faculdade de Direito de Vitória - FDV.

Citas

ADORNO, Theodor W. A indústria cultural. In: COHN, Gabriel. Comunicação e indústria cultural. São Paulo: Nacional; Editora da Universidade de São Paulo, 1971.

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

BARATTA, Alessandro. Criminologia crítica e crítica do Direito Penal. 6ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

BARBER, Benjamin R. Jihad vs. McWorld. Hardcover: Crown, 1995, ISBN 0-8129-2350-2; Paperback: Ballantine Books, 1996, ISBN 0-345-38304-4.

BAUMAN, Zygmunt (2001). Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

BECHARA, Ana Elisa. Disponível em:<http://www.edgardigital.ufba.br/?p=3068>. Acesso em: 16 de setembro de 2.018.

BITTAR, Eduardo C. B. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria e prática da monografia para os cursos de direito. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

CHRISTIE, Nils. A indústria do controle do crime. Trad. Luís Leiria. Rio de Janeiro: Forense, 1998.

CONVERSI, Daniele. Americanization and the planetary spread of ethnic conflict: The globalization trap. in Planet Agora, dezembro 2003 - janeiro 2004.

FELETTI, Vanessa Maria. Vende-se segurança: a relação entre o controle penal da força de trabalho e a transformação do direito social à segurança em mercadoria. 1ª ed. Rio de Janeiro: Revan, 2014.

FILGUEIRAS, L. O Neoliberalismo no Brasil: estrutura, dinâmica e ajuste do Modelo Econômico. In: MASUALDO, B.; ARCEO, E. (Org.) Neoliberalismo y sectores dominantes - tendências globales y experiências nacionales, Buenos Aires: CLACSO, 2006a, p. 179-206. (Colección Grupos de Trabajo).

GODÓI, Edgar da Mata Machado. Elementos de Teoria Geral do Direito. 4ª ed - Editora UFMG, 1995, Belo Horizonte.

HALL, Stuart. Questions on cultural identity. Londres: Sage, 2002.

htm>. Acesso em 17 de setembro de 2.018.

HUNTINGTON, Samuel P. O choque de civilizações: e a recomposição da ordem mundial. Rio de Janeiro: Objetiva, 1996.

Império de Toni Negri e Michael Hardt. Trad. Berilo Vargas. Rio de Janeiro : Record, 2001. Resenha, por Peter Pál Pelbart. Revista de Administração de Empresas ISSN 0034-7590 vol.42 n°4, São Paulo out.-dez. 2002.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. tradução João Baptista Machado. - 8a. ed. - Editora WMF Martins Fontes, 2009.

MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual da metodologia da pesquisa no Direito. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

MINHOTO, Laurindo Dias. Privatização de presídios e criminalidade: a gestão da violência no capitalismo global. São Paulo: Max Limonad, 2000.

MURTEIRA, Mário Luis da Silva. Globalização: Pela invenção dum tempo global e solidário. Quimera, 2003.

NEGRI, A. e HARDT, M. Império. Tradução de Berilo Vargas. Rio de Janeiro, Record, 2001.

RELATÓRIO ÔMEGA. Disponível em: <https://www.publications.parliament.uk/pa/cm199900/cmselect/cmhaff/904/90403.

WACQUANT, Loïc. As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

WACQUANT, Loïc. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estado Unidos [A onda punitiva]. 3ª ed. Rio de Janeiro: Revan, 2007.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. Disponível em: <http://www.edgardigital.ufba.br/?p=3068>. Acesso em: 16 de setembro de 2.018.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. Globalização e sistema penal na América Latina: da segurança nacional à urbana. Discursos sediciosos. Crime, direito e sociedade. Rio de Janeiro, ano 2, n. 4, 1997.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. O inimigo no direito penal. Tradução de Sérgio Lamarão. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2007. (Coleção Pensamento Criminológico).

Publicado
2019-07-01
Sección
DERECHO PENAL