La alienación parental y el papel de la experiencia multidisciplinaria en el Poder Judicial brasileño

(artículo en portugués)

  • Carolina Rocha dos Santos Faculdade Imaculada Conceição do Recife – FICR
  • Diogo Severino Ramos da Silva Faculdade Imaculada Conceição do Recife – FICR
Palabras clave: Alienación parental, experiencia multidisciplinaria, asistencia adecuada.

Resumen

Este artículo tiene como objetivo exponer sobre la alienación de los padres y el papel de la experiencia multidisciplinaria, un tema relevante en la vida de los menores, víctimas de esta afectación. Como fuentes de referencias teóricas, se utilizaron artículos de revistas, además de los datos electrónicos capturados en el erudito de Google y SciELO, así como en los libros que tratan sobre el tema. En vista de la escasez de profesionales cualificados y contratados para ayudar a las víctimas, hay numerosos efectos graves debido a un análisis inadecuado por parte de estos profesionales. El artículo busca comprender el papel de la judicatura respecto de la importancia del carácter multidisciplinario de la pericia y medio de comprensión de las necesidades del justiciable, en procura de la atención adecuada.

Biografía del autor/a

Carolina Rocha dos Santos, Faculdade Imaculada Conceição do Recife – FICR

Acadêmica de Direito da Faculdade Imaculada Conceição do Recife - Recife.

Diogo Severino Ramos da Silva, Faculdade Imaculada Conceição do Recife – FICR

Professor de Direito da Faculdade Imaculada Conceição do Recife - Recife. Advogado inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Pernambuco (OAB/PE 33.717).

 

Citas

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 27 de abril de 2018.

BRASIL. LEI, 10.406 10 de janeiro de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12318.htm. Acesso em 25 de abril de 2018.

BRASIL. LEI, 12.318 26 de agosto de 2010. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12318.htm. Acesso em 27 de abril de 2018.

BRASIL. LEI, 13.10516de março de 2015. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13105.htm. Acesso em 11 de novembro de 2018.

BRASIL. LEI, 13.431 4 de abril de 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13431.htm. Acesso em: 03 de novembro de 2018.

DIAS, Maria Berenice. Alienação parental: Um crime sem punição. Incesto e alienação parental. 2.ª Edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010.

DIAS, Maria Berenice. Manual de direito das famílias. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2005.

GAMA, Guilherme Calmon Nogueira da.Princípios constitucionais de direito de família: guarda compartilhada à luz da Lei 11.698/2008, família, criança, adolescente e idoso. São Paulo: Atlas, 2008.

GARDNER, Richard A. O DSM-IV tem equivalente para o diagnóstico de Síndrome de Alienação Parental?.2002. Tradução de Rita Rafaeli. Disponível em:

https://fc243dbe-a-62cb3a1a-s-sites.googlegroups.com/site/alienacaoparental/textossobre-sap/AlienaçãoParental-RichardGardner.pdf. Acesso em: 01 de junho de 2018.

IBDFAM. Entrevista: Alienação Parental no CID-11– Abordagemmédica.Disponível em: http://www.ibdfam.org.br/noticias/6726/Entrevista%3A+Aliena%C3%A7%C3%A3o+Parental+no+CID-11+-+Abordagem+m%C3%A9dica. Acesso em: 15 de novembro de 2018.

LÔBO, Paulo. Direito Civil: família. 2. edição. São Paulo: Saraiva, 2008.

LÔBO, Paulo. Direito Civil: família. 2.ª edição. São Paulo: Saraiva, 2009.

MADALENO, Ana Carolina Carpes; MADALENO, Rolf. Síndrome da alienação parental: importância da detecção aspectos legais e processuais. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

MADALENO, Rolf. Curso de direito de família. 5.ª edição. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

PALOMBA, Guido Arturo. Alienação parental. 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6sYkXrVJQTE. Acesso em: 20 de novembro de 2018.

SANTI, Liliane. Estudo Psicossocial: Você sabe pra que serve um Assistente Técnico?. Disponível em: https://sites.google.com/view/lilianesanti/estudo-psicossocial-voc%C3%AA-sabe-pra-que-serve-um-assistente-t%C3%A9cnico?authuser=0. Acesso em: 11 de novembro de 2018.

TEPEDINO, Gustavo. Temas de Direto Civil. Rio de Janeiro: Renovar, 1999, p. 349.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito civil: Família. 17.ª edição. São Paulo: Atlas, 2017.

Publicado
2019-03-30
Sección
DERECHO CIVIL