Cuidados paliativos pediátricos en el sistema público de salud brasileño:

Un derecho humano fundamental de niños y adolescentes (artículo en portugués)

  • Júlia Chequer Feu Rosa Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Laura de Amorim Ferreira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Maria Carolina Müller Naegele Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Margareth Vetis Zaganelli Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Palabras clave: cuidados paliativos, niños y adolescentes, Sistema público de salud, equidad e integralidad, Derecho humano fundamental.

Resumen

Se abordará la importancia de los cuidados paliativos y la urgente necesidad de la implantación del tratamiento paliativo en el Sistema Único de Salud, a fin de garantizar el apoyo físico y emocional tanto para niños y adolescentes en situaciones en las que los procedimientos terapéuticos solamente acarrean mejoría en los cuadros clínicos así como cierta tranquilidad en sus familias. Por medio de una metodología exploratoria con base en investigación bibliográfica, el trabajo busca señalar el derecho de acceso a los cuidados paliativos como derecho humano fundamental de todo niño y adolescente basándose en los principios de la equidad y de la integralidad, consagrados en documentos nacionales e internacionales.

Biografía del autor/a

Júlia Chequer Feu Rosa, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Bacharelanda em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); membro do grupo de pesquisa.

Laura de Amorim Ferreira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Bacharelanda em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); membro do grupo de pesquisa Bioethik.

Maria Carolina Müller Naegele, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Bacharelanda em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); membro do grupo de pesquisa Bioethik.

Margareth Vetis Zaganelli, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Direito (UFMG). Mestre em Educação (UFES). Estágios Pós-doutorais na Università degli Studi di Milano-Bicocca (UNIMIB) e na Alma Mater Studiorum Università di Bologna(UNIBO). Professora Titular da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Bioethik (UFES).

Citas

ACADEMIA NACIONAL DE CUIDADOS PALIATIVOS. Manual de cuidados paliativos. Rio de Janeiro: Diagraphic, 2009.

BARBI, Marina Zuppolini. A inserção dos cuidados paliativos no Sistema Único de Saúde (SUS). 4 Estações Instituto de Psicologia: São Paulo, 2011

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei n° 8.069, de 13 de julho de 1990, Lei n° 8.242, de 12 de outubro de 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm. Acesso em: 26 dez 2017.

BRASIL. Conselho Federal de Medicina. Código de Ética Médica. Disponível em: http://www.portalmedico.org.br/novocodigo/integra_4.asp.Acesso em: 26 dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Cuidados paliativos oncológicos: controle da dor. - Rio de Janeiro: INCA, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Melhor em Casa: Serviço de Atenção Domiciliar. 2013. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/acoes-e-programas/melhor-em-casa. Acesso em: 22 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. O SUS no seu município: garantindo saúde para todos / [Ana Lucia Pereira et al.]. - Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: http://sna.saude.gov.br/download/Cartilha%20Sus%20e%20os%20Municipios.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

BRASIL. Portaria Nº 19, de 03 de Janeiro de 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0019_03_01_2002.html. Acesso em: 27 dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 41, de 31 de outubro de 2018. Disponível em: <http://www.in.gov.br/web/guest/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/51520746/do1-2018-11-23-resolucao-n-41-de-31-de-outubro-de-2018-51520710>. Acesso em: 14 de fev. 2019.

DUARTE, Cristina Maria Rabelais. Eqüidade na legislação: um princípio do sistema de saúde brasileiro?. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 443-463, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v5n2/7107.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

THE ECONOMIST. Economist Intelligence Unit. The 2015 Quality of Death Index-Ranking palliative care across the world. 2015. Disponível em: https://eiuperspectives.economist.com/sites/default/files/2015%20EIU%20Quality%20of%20Death%20Index%20Oct%2029%20FINAL.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

GARCIA-SCHINZARI, Nathália Rodrigues; SANTOS, Franklin Santana. Assistência à criança em cuidados paliativos na produção científica brasileira. In: Revista Paulista de Pediatria. São Paulo, v. 1, n. 32, p.99-106, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v32n1/pt_0103-0582-rpp-32-01-00099.pdf. Acesso em: 20 nov. 2017.

GIAQUETO, Adriana. A descentralização e a intersetorialidade na política de assistência social. Revista Serviço Social & Saúde. UNICAMP Campinas, v. IX, n. 10, Dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8634883/2783. Acesso em: 18 fev. 2019.

HELENO, Sónia Lara Alves. Cuidados Paliativos em Pediatria. In: Revista Evidências. 2013, pp. 41-49. Disponível em: https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/10233/2/7..pdf. Acesso em: 27 dez. 2017.

KIPPER, Délio José. Evolução dos modos de óbitos em unidades de terapia intensiva pediátrica no sul do brasil. 2005. 144 f. Tese (Doutorado) - Curso de Faculdade de Medicina, Programa de PÓs-graduaÇÃo em Medicina/pediatria e SaÚde da CrianÇa, PontifÍcia Universidade CatÓlica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005. Disponível em: <http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/1395/1/382389.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2019.

KOVÁCS, Maria Júlia. Morte e desenvolvimento humano. 5. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. 243 p.

MARCUCCIL, Fernando Cesar Iwamoto; CABRERA Marcos Aparecido Sarria; ROSEMBERG, John Patrick; YATES, Patsy. Integração dos cuidados paliativos no sistema de saúde: o modelo australiano e aprendizados para a implementação no Brasil. Revista de Saúde Pública do Paraná. [s.l.], v.17, n. 1, julho 2016, p. 56-64.

MARTINS, Gabrieli Branco; HORA, Senir Santos da. Desafios à Integralidade da Assistência em Cuidados Paliativos na Pediatria Oncológica do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Revista Brasileira de Cancerologia. Brasil, v. 1, n. 63, p.29-37, 2017. Disponível em: <http://www1.inca.gov.br/rbc/n_63/v01/pdf/06b-artigo-desafios-a-integralidade-da-assistencia-em-cuidados-paliativos-na-pediatria-oncologica-do-instituto-nacional-de-cancer-jose-alencar-gomes-da-silva.pdf>. Acesso em: 25 de dez de 2017.

MARTINS, Gabrieli Branco; HORA, Senir Santos da. Família e Cuidados Paliativos em Pediatria: Desafios à Garantia do Cuidado. Revista Brasileira de Cancerologia. Brasil, v. 3, n. 62, p. 259-262, 2016. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/rbc/n_62/v03/pdf/09-artigo-opiniao-familia-e-cuidados-paliativos-em-pediatria-desafios-a-garantia-do-cuidado.pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

MENDES, Ernani Costa; VASCONCELLOS, Luiz Carlos Fadel de. Cuidados paliativos no câncer e os princípios doutrinários do SUS. Saúde em Debate, [s.l.], v. 39, n. 106, p.881-892, set. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201510600030026.

MOTTA, Luciana Branco da; AGUIAR. Adriana Cavalcanti de. Novas competências profissionais em saúde e o envelhecimento populacional brasileiro: integralidade, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 363-372, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v12n2/a12v12n2.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

NASCIMENTO, Elizabeth Cristina do. Entre a vida e a morte: Humanização e cuidados paliativos como meios para enfrentar o fim com dignidade. 2014. 68 f. Monografia (Especialização) - Curso de Curso de Formação e Licenciatura em Psicologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2014. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/7199/1/PDF - Elizabeth Cristina do Nascimento Cunha.pdf. Acesso em: 24 nov. 2017.

NOVAIS, Jorge Reis. Direitos como trunfos contra a maioria. In: NOVAIS, Jorge Reis. Direitos Fundamentais: Trunfos Contra a Maioria. Lisboa: Coimbra, 2006. Cap. 1. [p. 17-67].

PEREIRA, Isabel Brasil; LIMA, Júlio César França (Org.). Dicionário de Educação Profissional em Saúde. 2. ed. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008. [p.478].

PESSINI, Leo e Luciana Bertachini. Humanização e Cuidados Paliativos; Loyola Edições; São Paulo, 2006. Acesso em: 28 dez. 2017.

PIVA, Jefferson Pedro; GARCIA, Pedro Celiny Ramos; LAGO, Patrícia Miranda. Dilemas e dificuldades envolvendo decisões de final de vida e oferta de cuidados paliativos em pediatria. São Paulo: Revista Brasileira de Terapia Intensiva, mar. 2011. V. 23, n. 1. 78-86 p. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2011000100013>.Acesso em: 14 fev. 2019.

Portal da Saúde. Melhor em Casa: Serviço de Atenção Domiciliar. 2013. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/acoes-e-programas/melhor-em-casa. Acesso em: 22 nov. 2017.

SCHAEFER, Fernanda. A nova concepção do consentimento esclarecido. Revista Jurídica Luso-brasileira, Lisboa, Ano I (2012), n. 10, 6317-6354. Disponível em: http://www.cidp.pt/publicacoes/revistas/ridb/2012/10/2012_10_6317_6354.pdf. Acesso em: 27 dez. 2017.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 41 ed. São Paulo: Malheiros, 2018.

SOARES, Vanessa Albuquerque et al. A importância do brincar para criança com câncer hospitalizada em cuidado paliativo. Recife: Revista de Enfermagem da UFPE, 2016. V. 10, n. 3. 1047-1053 p.

VALADARES, Maria Thereza Macedo; MOTA, Joaquim Antônio César; OLIVEIRA, Benigna Maria de. Cuidados paliativos em pediatria: uma revisão. Revista de Bioética, Brasil, 2013 v. 3, n. 21, p.486-493. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bioet/v21n3/a13v21n3.pdf. Acesso em: 20 nov. 2017.

VERAS, Renato Peixoto et al. Desenvolvimento de uma linha de cuidados para o idoso: hierarquização da atenção baseada na capacidade funcional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 2, n. 16, [p.385-392], 2013. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/22946/1/Desenvolvimento de uma linha de cuidados para o idoso_2013.pdf. Acesso em: 20 nov. 2017.

VICTOR, Germana Hunes Grassi Gomes. Cuidados Paliativos no Mundo. Revista Brasileira de Cancerologia, Brasil, v. 3, n. 62, p.267-270, 2016. Trimestral. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/rbc/n_62/v03/pdf/11-resenha-cuidados-paliativos-no-mundo.pdf. Acesso em: 17 nov. 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global Atlas of Palliative Care at the End of Life. 2014. Disponível em: http://www.thewhpca.org/resources/global-atlas-on-end-of-life-care. Acesso em: 13 fev. 2019.

Publicado
2019-07-01
Sección
DERECHOS HUMANOS